Wednesday, 8 April 2009

Agriculturas - Update

Como dizia eu, aqui há um tempo... então é assim:

A experiência das xeróvias e das cenouras ( o prato com água e com os topos) acabou na caixa de compostagem.

Os girassois cresceram todos e por isso foram transplantados para vasos maiores. Lembram-se que utilizei o cartão do interior dos rolos de papel higiénico cortados ao meio como vasos biodegradáveis, bem, estes rolos são de um cartão muito grosso, mas também são muito úteis porque mantêm a terra húmida, mas não podem ser plantados juntamente com as plantas, assim podem pôr o "vaso biodegradável" no sitio onde querem que a flor, planta, legume, etc fique, depois fazem um corte no cartão e começam a desenrolar o cartão do vaso biodegradável e no fim de tudo ficam com a planta no sitio onde a querem sem terem os dedinhos cheios de terra húmida e com a planta muito contente, porque apesar de tudo não lhe mexeram nas raizes, e ficam com uns quantos pedaços de cartão bons para a caixa de decompostagem.

O feijão verde ficou mesmo arrebitadito, dos 10 feijões que plantámos nasceram 7, o que já deve dar uma bela colheita de feijão verde (espero eu, diz a ignorante do feijão verde). O suspeito do costume e eu estamos a dar mais uma hipótese de sobrevivência a um feijão que está na dúvida se cresce ou não. O vaso redondinho na parte de baixa da fotografia é esse sortudo que não lançamos na compostagem.

Plantámos uns feijões anões (não faço a minima ideia do que é que vai sair de lá, mas também não vou ser esquisita) e o que vier será bem vindo.

Semei umas sementes de flores pelo prazer de semear flores – a ver se crescem bem e bonitas, são flores do campo, margaridas e outras do genéro.

Plantámos beterraba, alho francês e xeróvias, preparámos o cesto de cultivo de salada para a próxima semana plantarmos as alfaces de todas as espécies (vão ser todas plantadas no mesmo sitio para quando formos buscar as folhas de alface estão todas misturadas logo), a ver vamos, porque o conceito na teoria é lindo, só faltar ver se na prática funciona.

Podem ver a fotografia do grupo aqui ao lado, devo avisar que os feijões não estavam para aí virados e não compareceram para a fotografia.

Depois de tanto trabalho, o suspeito do costume e eu chegámos à conclusão que apesar do tempo estar mais quentinho, as plantas poderiam não estar de acordo com a nossa definição de mais quentinho e acabei por lhes fazer uma linda estufa, e como ouvi alguém aqui há uns tempos dizer (preparem-se para a piroseira): “O homem sonha, a obra nasce”. Tomem lá com o nascimento de uma linda barraca temporária para as minhas plantinhas. Como não cabiam todas aqui dentro, o suspeito do costume (um piqueno muito engenhoso – podemos mesmo chamar-lhe crafty) virou uma caixa de plástico em cima das outras plantas restantes para as proteger do frio ...

Dentro de casa o tomate cresce, o chilli e os peppers também não...

2 comments:

Margarida said...

Ena, Ena, temos mesmo agricultora!!!!
Parabens!!!
Morro de inveja dessas agriculturas!!!

Beijinhos

Anonymous said...

Isso é que é força de vontade :) boa continua assim,
Calimero :)