Thursday, 23 April 2009

Se é assim tão barato, quem paga o resto por mim?

Hoje conversava com 2 colegas minhas sobre a sociedade de consumo em que vivemos e houve uma que comentou que hoje em dia se queremos uma televisão podemos ir ao Tesco e comprar uma televisão por 30 libras, ao que eu perguntei "e quem paga o resto do valor da televisão por nós?" (Obrigada ao meu primo Buli - do blog bulicenas, por levantar estes bichinhos na minha consciência)

Quando perguntei isto, uma outra colega que vive totalmente devotada à linda sociedade de consumo em que vivemos abre a sua linda mala Prada, tira um recorte de jornal sobre a escravatura infantil na India, um país onde as crianças são vendidas ou entregues como garantia ou colateral pelos empréstimos feitos pelos pais, valores esses que são estúpidos, não estamos a falar de dividas de milhares ou de mil sequer, estamos a falar de 150 libras de divida, outros casos em que as dividas são de 450 libras.

E estas crianças estão escravas a trabalhar das 4 da manhã às 7 da tarde, sob o sol, sem qualquer alivio, dia de descanso e sem mesmo alguém que se preocupe, porque afinal os pais nunca terão o dinheiro para pagar essas dividas.

Estas crianças trabalham em regime de escravatura para o Ocidente ter roupinha da moda a preços baratos e rádios e televisões e sabe-se lá mais o quê... E este artigo apenas falava da India com 5 milhões de crianças escravas...

Resolvi que apartir de agora a minha roupa e outros artigos que possa comprar têm de dizer "fair trade" ( e mesmo assim tenho de fazer as minhas pesquisas) ou serem feitos aqui na Europa e que se dane o preço, correr o risco de ter crianças a trabalhar em regime de escravatura para eu ter roupinha da moda barata ou o último artigo de technologia é que não me parece certo.

Gostava de vos pedir a todos que passem a dar uma vista de olhos às etiquetas da roupa e dos outros artigos que compram daqui para a frente. Só isso...

Tinha dito que hoje não ia falar sobre isto, mas não consegui esperar por amanhã para carregar no botão publish post...

1 comment:

Buli said...

Pois é prima... não é fácil sermos fiéis aos nossos princípios e à nossa consciência neste mundo globalizado tão pouco transparente! Obrigado pelo apelo e pelo exemplo (e pela menção às bulicenas)! A ver se me lembro de te "cobrar" da próxima vez que nos encontrarmos, pedindo para ver as tuas etiquetas, e a ver se fazes o mesmo comigo!

Força aí com esse projecto para ficares ainda mais brasa! Aí é que o suspeito do costume desmaia ao se aperceber que é ainda mais sortudo do que pensava! :)