Tuesday, 7 June 2011

Percursos - Momentos Iluminados...

... ou filosofia de 25 tostões, como lhe quiserem chamar...

Hoje enquanto tratava da minha vidinha e seguindo a minha linha de pensamento (absolutamente caótica, diga-se de passagem) cheguei à conclusão maravilha que na vida nunca esquecemos um amor, isto se foi mesmo um amor.

Podemos perder peso, perder esperança, perder de vista, mas nunca, nunca perdemos o amor que tivemos por alguém. O nosso coração apesar de partido quando tudo acaba fica maior, parece que os pedacinhos em que ficou quando se estatelou no chão ficaram maiores e o coração depois de "remendado" ficou maior e cabe lá outro amor, que não é nem mais nem menos válido que os outros todos. Quando perdemos uma pessoa que amamos (seja qual fôr o motivo), o amor que lhe temos continua, fica apenas como um segredo nosso que ninguém sabe nem precisa de saber, não é um segredinho obscuro e porco, é um segredo nosso que nos define e nos permite amar plenamente outra vez, porque sabemos que cada amor ficará para sempre connosco e será sempre único.

O teu sorriso, a forma como inclinavas a cabeça para o lado quando me vias, a felicidade que eu sentia quando tu estavas por perto, o nome que me deste, o teu abraço, o teu cheiro, por tudo isto te amei, te amo e te amarei, mesmo que nunca mais te diga.

Mas esquecer-te nunca, esquecer-te seria perder-te de mim e isso é perder-me de mim.

1 comment:

gina said...

Isso é tão, tão verdade...